Viu minha entrevista? Foi publicada ontem no jornal Zero Hora, na coluna da jornalista Marta Sfredo. Conversei com ela na semana passada e o que foi bem legal, é que ela me pediu para falar sobre os principais erros que os “empreendedores da crise” {termo cunhado pelo jornal!} cometem, devem estar atentos e também evitar!….

Eu pensei na hora “meo-deos! É exatamente o que eu sempre falo, falo, escrevo, escrevo, e grito aos 4 cantos…..”. E, como boa faladora que sou, fui falando, falando, soltei o verbo! E foi ótimo porque eu fiz um exercício de me ouvir, de prestar atenção em tudo o que estava dizendo à ela. E as peças começaram a se encaixar e tudo fez ainda mais sentido.

Quando eu contei para a Marta sobre os principais erros que os empreendedores cometem e com os quais convivo aqui na Consultoria, que meus clientes trazem até mim diariamente, mentalmente criei, nomeei os três pilares que há tempos eu utilizo e trabalho com meus clientes mas que não tinha encontrado os nomes mais apropriados, mais indicados, etc. Vamos a eles {barulhos de rufar de tambores!}:

Fazer o que não se ama

”Criou-se uma onda, especialmente na internet, com frases motivadores como ‘faça o que você ama’. Não tem frase que me irrite mais. Faço um monte de coisa de que não gosto para que meu negócio seja viável. É preciso saber que, ao empreender, também tem perrengue, se bobear oito horas por dia. Tem dia que tem de virar a noite para entregar produtos para cliente. O maior erro é achar que o empreendedorismo é cor de rosa. É muito recompensador, mas exige esforço.”

 

Hobby não é negócio

”O que a pessoa sabe ou ama fazer não necessariamente vai se tornar um negócio que vai dar dinheiro. O primeiro passo, para poder se estruturar, é se perguntar  ‘o que eu sei e gosto de fazer, o mercado precisa disso, tem gente que vai pagar, tenho um diferencial?’ É preciso lembras que tem muita gente fazendo muitas coisas. Para ter um público, é preciso um detalhe que vai ser seu diferencial.”

 

Achar a sua voz

”Chega muita gente dizendo que não vende, perdeu clientes, o faturamento caiu. São coisas que, se o país estivesse em fase legal, também poderiam ocorrer, mas neste período ficam maiores. É preciso parar e olhar sem envolvimento emocional. É difícil, o empreendedor depositou seus sonhos, seu dinheiro. Sempre digo que é preciso achar a sua voz, com base em sua história, que é única. Por exemplo, se um salão tem boa renda com corte, escova e manicure, mas oferece ainda depilação e massagem, foca. Às vezes, a gente quer o abraçar o mundo e não precisa ser assim.”

 

05_Imagem_ZH

 

Vejam essa ilustração da matéria em que apresenta os números de empresas abertas no Estado do Rio Grande do Sul. Além do crescimento mês a mês em relação ao mesmo período de 2015 e também o quanto aumentou só no primeiro semestre deste ano. O que isso significa? Que a galera está indo atrás e fazendo. É bem o lema “Vai Lá e Faz” que eu amo tanto. Mas, com realidade, bem na linha de ser Empreendedorismo Real.

 

Entrevista Pri Tescaro Zero Hora

 

Clique aqui para ler a matéria completa na coluna da Marta Sfredo no jornal Zero Hora.

 


Chamada_CriandoVozParaSeuNegocio

 

Já fez sua inscrição na Oficina Online Criando VOZ para seu Negócio?

Dá uma olhada naquilo que estou preparando para a aula:

  • Vamos colocar no papel tudo o que você já fez/viveu até hoje
  • O que você ou seu negócio tem de diferentes?
  • Como contar essa história para o mundo
  • Sua VOZ é seu diferencial – ou o diferencial do seu negócio
  • Por quê é tão importante ser único, ser diferente, ser especial?

Estou te esperando no dia 21 para ajudar você e seu negócio a encontrarem a verdadeira voz do seu negócio. E, olha só, tá muito bacanudo todo o conteúdo que estou escrevendo. Sérião…… vai ser muito massa!