Photo by KOBU Agency on Unsplash

Semanalmente, recebo mensagens de profissionais que estão preocupados com seus empregos neste período de tantas incertezas. A dúvida que ronda é se, quando a economia volta a crescer, ainda terão seus trabalhos. Muitos deles não têm pretensão de mudar de carreira, pelo menos neste momento. O que eles querem é manter-se empregáveis.

No final de junho, a Salesforce Research divulgou um estudo realizado com 3,5 mil profissionais em 5 países. Desse total, 500 eram brasileiros. A pesquisa apontou que 58% dos entrevistados estão com medo de perder o emprego, 39% das pessoas ouvidas temem que seus empregos sejam automatizados (com o aumento do uso da tecnologia por parte das organizações para redução de custos) e 38% dos profissionais estão considerando mudar de carreira.

Se analisados isoladamente, os números podem não representar muita coisa. Mas, se olharmos para o cenário que a pandemia trouxe para todo o mundo, ter um pouco de cautela com a vida profissional nunca é demais.

Quem estiver atento às transformações do mercado de trabalho, sairá na frente. Ficar estagnado não deve ser uma opção. O profissional que se basear apenas no que conhece (a zona de conforto) e tiver apenas um caminho desenhado para si e a carreira correrá o risco de ser engolido.

Mais do que nunca, este é o momento de se preparar e avaliar cada movimento, seu e dos outros. Como em um jogo de xadrez. Agir com prudência é importante para, no futuro, ser o mais assertivo possível.

Este é o momento de estudar o ambiente, avaliar quais são as ferramentas que têm disponíveis e iniciar o planejamento da sua carreira. Um dos caminhos que podem ser percorridos é a diversificação da renda. Uma das tendências para os próximos anos é o aumento do número de profissionais que têm múltiplas carreiras e, com isso, deixar a lógica de “receber salário” e passar para a lógica de “diferentes fontes de rendas”.

Neste momento, o questionamento que você deve fazer é: “eu faço parte dos 58% de profissionais que estão com medo de perder o emprego?”. Se a sua resposta foi sim, o que você está fazendo para não ser pego de surpresa?