Eu AMO estudar. Digo que sou “a louca dos cursos”. Tenho sede para aprender, conhecer outros temas, descobrir novas possibilidades. Não consigo imaginar minha vida sem um livro por perto, sem uma nova provocação, uma nova dúvida que precisa de respostas.

 

Quando descobri que esse meu interesse pelo aprendizado contínuo não tinha nada de errado e que até existe um nome para isso – Lifelong Learning – soltei um suspiro de alívio. O hábito do aprendendo ao longo da vida é uma das habilidades essenciais para quem já está no mercado e deseja permanecer nos próximos anos.

 

 

A novidade ficou ainda melhor quando descobri que Bill Gates, fundador da Microsoft, reserva uma semana, a cada seis meses, e refugia-se em sua casa na beira de um lago com livros, artigos e projetos com temas bem definidos (todos relacionados a problemas globais e que gostaria de ajudar a resolver).

 

É preciso ter um método claro para investir tempo, dinheiro e energia naqueles temas que são relevantes para cada um de nós. O livro “Lifelong Learners“, do Conrado Schlochauer, Doutor em Aprendizagem de Adultos pela USP, aborda essa questão e nos auxilia a organizar o processo de aprendizagem contínua para que seja eficiente.

 

Seguindo algumas sugestões do livro, estou revendo meu processo de aprendizagem.

 

  • Selecionei os temas que quero aprofundar meu conhecimento até dezembro (de maneira realista para meu dia a dia);
  • Defini uma ordem de prioridades de acordo com minha carreira e meu negócio atualmente;
  • Defini o prazo que dedicaria para cada tema. Alguns serão por semanas, outros por até dois meses;
  • Selecionei as fontes relevantes nos temas em diferentes canais – artigos, livros, áudios e vídeos;
  • Criei o planejamento e reservei um período do meu dia para focar nos estudos;
  • Por último, me comprometi a compartilhar os novos aprendizados e insights nos meus diferentes canais de comunicação.

 

Que tal se inspirar nas sugestões acima e rever se o hábito do aprendizado contínuo faz parte do seu dia a dia?