Quem é o profissional 4.0 que o mercado deseja

Você está preparado para as exigências do mercado de trabalho para o profissional 4.0?

A principal característica é estar em busca de aprendizado constante a fim de aprimorar-se e adequar-se às transformações que acontecem na velocidade da luz. 

Cada vez mais, o profissional 4.0 precisa de uma combinação de habilidades para atuar em diferentes áreas. O termo “profissão” está caindo em desuso e sendo substituído por “carreira”. 

nova expressão remete ao modelo de profissionais do futuro exigidos pelo mercado. Entende-se que “carreira” abrange as experiências pessoais de trabalho ao longo da nossa vida. Estamos em constante adaptação. Não precisamos mais encerrar nosso ciclo de trabalho atuando na mesma profissão que nos formamos na faculdade ou que iniciamos nossa trajetória.

Mas, como ser um profissional 4.0?

O trabalho do futuro possibilita que o mercado receba profissionais que atuem em carreiras múltiplas. Não existe mais o pré-conceito de que devemos trabalhar em uma única área deixando de lado outras opções que podem nos completar. Nossas habilidades devem ser aproveitadas e exploradas não apenas em benefício próprio como também de toda a sociedade.

Segundo estudo divulgado em 2018 durante o Fórum Econômico Mundial, essas são as 10 habilidades que o novo mercado de trabalho está exigindo a partir deste ano:

1 – Resolução de problemas complexos

2 – Pensamento crítico

3 – Criatividade

4 – Gestão de pessoas

5 – Coordenação

6 – Inteligência emocional

7 – Capacidade de julgamento e de tomada de decisão

8 – Orientação para servir

9 – Negociação

10 – Flexibilidade cognitiva

Arquiteta e professora de Yoga

Em 2017, atendi uma arquiteta que desejava organizar seu escritório. Recém-formada, ela precisava de orientações para iniciar esse novo negócio. Com o trabalho finalizado, um ano depois, ela iniciou uma formação em Yoga. O que começou como uma atividade física, transformou-se em paixão. Ela decidiu transformar em uma nova atividade profissional. Com a formação concluída, hoje, concilia as duas carreiras: arquiteta e professora de Yoga. Ela uniu duas áreas que se identificam, aprimorou suas habilidades e atua em ambas.

Faço um convite para refletir. Sua carreira está adequada às novas exigências do mercado de trabalho? Você identificou quais são as habilidades que precisa estar atento para manter-se atuando na sua empresa? Ou ainda, você acredita ter perfil para atuar com múltiplas carreiras? 

Certamente uma reflexão mais profunda pode apresentar surpresas.

Não jogue fora sua trajetória

Não tem problema algum começar uma nova carreira aos 40, 50 anos. O que, na minha visão, não deve acontecer, é passar uma borracha na sua história e deixar de lado sua trajetória até este momento. Há tantas coisas que podem ser aproveitadas que você nem imagina.

Não é porque vivemos em uma era de transformações que tudo precisa ser descartado e iniciado do zero. Podemos (e devemos!) reinventar o que é possível para somar ao que somos, com a nossa trajetória. 

Digo isso porque, no final de 2019, realizei um workshop sobre carreiras múltiplas. O objetivo era reunir profissionais de diversas áreas para debater sobre o futuro do trabalho e identificar os desafios mais comuns para manter-se empregado com tantas novidades chegando em tão pouco tempo. 

E sabe qual o sentimento mais comum entre os participantes (a faixa etária era de 30 a 50 anos)? Um grande ponto de interrogação sobre o que fazer com a carreira no tal “mercado de trabalho do futuro”. Com tantas informações disponíveis sobre as mudanças pelas quais estamos vivendo tão rapidamente, essas pessoas acreditavam que era necessário abandonar tudo o que já haviam vivido e recomeçar do zero.

Um arquiteto pode focar seu trabalho nas novas exigências do mercado com relação à preocupação com o meio ambiente, por exemplo. Conhecer com profundidade sobre reciclagem e reuso de espaços e materiais pode ser um valioso diferencial para o profissional manter-se na carreira e aproveitar a trajetória até os dias atuais.

Já os psicólogos terão papel cada vez mais fundamental em nossas vidas: segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), neste ano, a depressão será a doença mais incapacitante do planeta. Mas, se os profissionais da área não se adequarem às mudanças de comportamento da sociedade apenas aqueles melhores preparados irão conquistar (ou manter) seu lugar ao sol. No Brasil, o Conselho Federal de Psicologia (CFP) já autorizou o atendimento online. E, por meio da internet, profissionais atentos poderão chegar em locais com demandas como a área rural.

Selecionei apenas dois exemplos, pois, coincidentemente, eram profissões de alguns participantes do workshop e foram percepções que compartilhei com eles ao longo do evento. Não precisamos rasgar quem somos e descobrir algo inédito para nos adequarmos às novidades do mercado. Precisamos fazer uma avaliação se o objetivo é seguir atuando na profissão ou área desejada. Se a resposta for “sim” o próximo passo é olharmos para fora da nossa bolha. Identificarmos quais são as possibilidades reais e colocarmos em prática. Você vai ver que, muitas vezes, sua bagagem será seu tesouro mais valioso.

Teia – Rede de Apoio a Negócios

Tem cheiro de novidade chegando em Porto Alegre. Eu e minha parceira Lisiane Szeckir vamos lançar no próximo dia 11/11 nosso projeto: Teia – Rede de Apoio a Negócios”.

O projeto surgiu em uma conversa, quando percebemos a falta de momentos de troca voltados para os negócios, com apoio sem competição e com real vontade de ajudar. E assim surgiu a Teia, uma mentoria e curadoria de conteúdo.

Reunimos nossas expertises e em 2020, durante seis meses, iremos receber vários convidados a participarem das trocas e encontros com o grupo.

O tema do lançamento da Teia é Carreiras Múltiplas: Você está Pronto? Iremos discutir vários pontos de vista sobre o tema, e alguns exercícios práticos, para que você invista imediatamente na sua carreira ou negócio.

Tanto o evento quanto o programa atendem ao público que quer qualificar sua carreira pessoal ou seu negócio, de modo a manter-se atualizado e posicionado como um profissional que vale a pena ouvir.

Vem com a gente criar uma Teia de grandes trocas, apoio e networking de qualidade!

Dia 11/11, segunda-feira
Das 19h às 21h30
Na Easy Office Higienópolis (Av. Carlos Gomes, 111, 11º andar – Porto Alegre)
Inscrições – http://bit.ly/lancamento_Teia

http://www.instagram.com/teia_negocios/

Será que estamos vivendo a vida como realmente gostaríamos? Ou será que estamos sobrevivendo por algo que acredita ser o “certo” porque “todo mundo disse que era certo”?⁠

Acredito que a vida acontece no dia a dia, nos altos e baixos, nas partes boas e ruins e não apenas quando chega ao destino final. Uma vez um psicólogo me disse que a vida acontecia nos intervalos entre os acontecimentos. Sabe que eu duvidava dessa forma de olhar a vida mas não é que ele tem razão?⁠

A gente está sempre esperando o grande acontecimento, o super evento, o período ideal, a época perfeita mas, enquanto isso, a vida acontece e, muitas vezes, estamos só observando, sem conseguir experimenta-la. Meu convite para esse final de semana é que você experimente a sua vida. Não espere nada ideal acontecer. O especial é agora. E é onde está a nossa vida!!⁠

Seu ciclo de trabalho pode estar no fim!

Esses dias ouvi em um bate-papo sobre empreendedorismo feminino, entre tantas informações relevantes e super atuais, sobre o tempo de duração dos ciclos de trabalho e que atualmente eles estão em torno de 10 anos. Ou seja, mais ou menos em uma década iremos fazer ajustes de rotas em nossas atividades profissionais, sejamos autônomos, profissionais liberais, empreendedores, empresários ou funcionários de empresa pública ou privada.

Photo by Caroline Rccrd on Unsplash

É claro que isso não significa que você irá abandonar a carreira que escolheu na faculdade ou vai jogar para o alto o emprego que tanto desejou e conquistou a cada 10 anos. Mas você (nós) pode(mos) fazer ajustes nessas rotas de década em década, mais ou menos. Pode ser apenas um ajuste pontual em algo que já não faz tanto sentido nos dias atuais como fazia quando você começou nesse ciclo. São ajustes que sempre precisamos fazer em tudo na vida.

Essa estimativa do ciclo de trabalho está relacionada, também, com as mudanças e transformações que vivenciamos diariamente e que sempre acreditamos estar no “futuro”. Mas o tal futuro já tornou-se presente há muito tempo.

E são essas transformações que estão causando uma verdadeira revolução no modelo de trabalho que conhecemos atualmente e também na forma como enxergamos e vivenciamos o trabalho. Em junho deste ano, o governo do Japão apresentou na Cúpula do G-20, o grupo dos 20 países mais ricos do mundo, que estamos iniciando a Sociedade 5.0, que é a sociedade da imaginação, colocando a criatividade no centro dos processos.

Ou seja, lembra da Inteligência Artificial que eu já contei que está chegando com tudo para ocupar muitos espaços no mercado de trabalho? Pois então, com esse novo olhar para a sociedade 5.0 voltada para a criatividade, a “parceria” entre nós, humanos, e os robôs será fundamental para não despersonalizar e humanizar as relações!

O importante ao receber essas informações é como você vai usá-las ao seu favor e tirar maior proveito disso. Reflita:

📌quais são as capacitações que preciso fazer para não ser engolido pelo tsunami de transformações;

📌quais são as habilidades que ainda não desenvolvi e são fundamentais para quem deseja atingir as metas traçadas;

📌qual é a postura que um profissional da minha posição precisa ter para chegar onde deseja.

Reserve um tempo para avaliar em qual momento do ciclo está sua atividade profissional neste momento e o que você precisa fazer para manter-se atualizado. 

Se você não reinventar o que estiver fazendo – seja no seu negócio ou na sua carreira, alguém fará isso!!! E não vai demorar muito. Pode ser a partir de agora. É o futuro entre nós!

——

Essa e outras questões envolvendo o futuro do mercado de trabalho faz parte da minha metodologia para organizar e desenvolver carreiras e negócios individuais.Se você quer mais informações sobre meu trabalho, me envie uma mensagem: priscila@pritescaro.com.br

O poder da criatividade no mercado de trabalho

Um estudo da Universidade Harvard, nos Estados Unidos, apontou que 85% do sucesso no local de trabalho – e aqui vale para quem está empregado em uma grande empresa, para quem é empreendedor, profissional liberal, autônomo, pois nos relacionamos com pessoas em qualquer atividade, cargo, função – é atribuído a habilidades interpessoais e apenas 15% a habilidades técnicas e conhecimento sobre a área de atuação.

Uma das habilidades desejadas para os profissionais que desejam manter-se no mercado de trabalho e se reinventar é a CRIATIVIDADE. Mas aí você está pensando que é criativo pelo simples fato de ser brasileiro. Mas, no caso das habilidades para o mercado de trabalho, a exigência é ir além dessa criatividade que conhecemos e que utilizamos diariamente para sobreviver.

Ser criativo é desenvolver a capacidade de conectar as informações que você não acredita que dariam match. Observe os novos produtos que chegam até nós cada vez mais frequente. Isso é praticar e exercitar a criatividade. Quando que imaginaríamos que, em 2007, um aparelho celular seria capaz de resolver toda a nossa vida com apenas alguns cliques? Ou que poderíamos comprar dezenas de centenas de livros e carregar todos ao mesmo tempo em um aparelho pouco maior que a palma da nossa mão. Ou ainda, que poderíamos nos locomover de um lado para outro na cidade com carros que não são táxis ou patinetes?

Ser criativo é pensar nos problemas que existem e quais são as soluções possíveis para resolvê-los. 

E você pode ser criativo sendo empresário, profissional liberal, autônomo, empreendedor. Exercitar a criatividade é olhar o que está acontecendo no mundo e pensar em melhorias, em novos produtos e serviços que poderão dar mais qualidade de vida às pessoas, ao meio ambiente, ao mundo que vivemos. E podem ser pequenas ou grandes soluções. Criatividade não tem tamanho.

Mesmo com toda a ascensão dos robôs e da inteligência artificial, as máquinas não têm a capacidade criativa que nós, seres humanos, temos. A criatividade já é uma ferramenta importante no mercado de trabalho de hoje. Mas nos próximos anos ela deverá se tornar uma habilidade imprescindível em toda carreira ou empresa.

Você tem estratégias para desenvolver a criatividade no seu dia a dia? Me conta quais são para trocarmos experiências!

Seu emprego vai existir em 2020?

Esse texto não é para ser um balde de água fria no começo da sua semana mas um alerta para quem está adiando tomar decisões importantes sobre sua atividade profissional: nos próximos anos, metade dos empregos que existem atualmente vão desaparecer. METADE!!!

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Sabe aquele “futuro” que comentamos nas conversas informais e assistimos nas reportagens da TV? Ele não está mais tão distante e, em menos de uma década existirão novas profissões que hoje nem sabemos quais são. Quer um exemplo? Quando meu filho Pietro – que hoje tem 10 anos – for escolher o curso na faculdade, tem grandes chances de optar por uma profissão que ainda nem foi criada. Impressionante, não?

Segundo dados da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), há 3 bilhões de trabalhadores no mundo atualmente e 6 em cada 10 profissionais que estão no mercado de trabalho não estão habilitados tecnicamente para os novos trabalhos que serão criados nos próximos anos.

Alerta!!!!

Se o seu trabalho é passar o dia na frente do computador, há grandes chances de você ser substituído por um robô que tem capacidade de compreender o trabalho a ser entregue. Profissões como jornalistas (eu aqui!!), advogados, arquitetos, médicos, contadores, poderão facilmente ser substituídas por inteligência artificial se o trabalho realizado e a entrega for meramente mecanizada, robotizada. O que vai nos diferenciar da inteligência artificial é a capacidade de relacionamento com outros seres humanos, a humanização nas nossas relações. 

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Mas nem tudo está totalmente perdido e há salvação!! Segundo o Fórum Econômico Mundial, algumas habilidades (softs skills) desejadas para os profissionais que desejam manter-se no mercado de trabalho e se reinventar são:

  • pensamento crítico
  • criatividade
  • gestão de pessoas
  • inteligência emocional
  • capacidade de julgamento
  • autonomia
  • orientação para servir
  • negociação
  • flexibilidade cognitiva

Ou seja, habilidades estas que dificilmente poderão ser encontradas em robôs criados para fazer o trabalho manual e mecânico, mas que podem ser nosso diferencial enquanto profissionais.

O que fará nos destacarmos no mercado é sermos únicos, criar conexões, sermos facilmente encontrados por nossas habilidades e, principalmente, um posicionamento real sobre quem somos, sobre nosso trabalho e aquilo que acreditamos. O diferencial está nas relações que conseguirmos criar e manter ao longo da nossa atividade profissional.

Esses números e dados assustam, né? Meu propósito em compartilhar essas informações é mostrar a você que é possível evitar que a onda chegue e te afogue nesse mar gigante que é o mercado de trabalho. Que tal olhar para a sua carreira e se antecipar às mudanças que já estão acontecendo? Você já está pensando no futuro da sua atividade profissional? Me conta o que tem feito para se reinventar e manter-se no mercado de trabalho!